Publicado: 10 de setembro de 2019, 07:15

Orquestra Sinfônica de Sergipe (ORSSE)


Orquestra Sinfônica de Sergipe 

Fundada no ano de 1985, a Orquestra Sinfônica de Sergipe (ORSSE) é a instituição mais expressiva no que tange à formação de plateia e difusão da cultura musical no Estado de Sergipe. Mantendo seu compromisso de levar música de alta performance ao povo sergipano, a ORSSE vem realizando uma programação intensa de concertos com temporadas anuais que permitem que o público tenha acesso a repertórios que transitam entre a música sinfônica, repertórios camerísticos, sinfônico-corais, músicas de diferentes épocas e contextos, bem como apresentações com caráter didático, que busca aproximar o público infanto-juvenil da música sinfônica. Apresenta-se em diferentes espaços na capital, bem como em cidades do interior do Estado. Desde 2006, quando a ORSSE passou por reestruturação, o seu diretor artístico e maestro titular passa a ser o paulistano Guilherme Mannis. Para além de seu corpo administrativo e de apoio, é formada por músicos de excelência profissional provenientes de Sergipe, de outras partes do país e do mundo (Romênia e Peru). Também integra a ORSSE o seu Coro Sinfônico, formado por voluntários que aliam uma competente atividade musical a suas atribuições do cotidiano. A regência do Coro Sinfônico da ORSSE é responsabilidade do maestro Daniel Freire e a orientação vocal está a cargo do soprano Verônica Santos. Entre os solistas que estiveram com a ORSSE destacam-se Maria João Pires, Nelson Freire, Michel Legrand, Amaral Vieira, Ricardo Castro, Eduardo Monteiro, Francis Hime, Daniel Guedes, Wagner Tiso, Tamila Salimdjanova, Rosana Lanzelotte, Alvaro Siviero, Marília Vargas, Daniela Carvalho, entre tantos, além dos maestros Isaac Karabtchevsky, Luiz Malheiro, Piotr Borkowski, Roberto Tibiriçá, Helder Trefzger, Marcelo de Jesus, Alexandre Guerra, entre outros. Destaca-se na história da instituição a “Turnê Brasil” e gravação de Cd com obras de Villa-Lobos, ambos em 2009; e a inédita participação no Festival de Inverno de Campos do Jordão, em 2010. A Orquestra Sinfônica de Sergipe é patrimônio do povo sergipano!

Guilherme Mannis, diretor artístico e regente titular

Guilherme Mannis é Diretor Artístico e Regente Titular da Orquestra Sinfônica de Sergipe desde 2006, onde tem dividido o palco com artistas como Maria João Pires, Michel Legrand, Nelson Freire, Jean Louis Steuerman, André Mehmari, Emmanuele Baldini, Rosana Lamosa, Wagner Tiso, Amaral Vieira, Eduardo Monteiro, entre outros. Como regente convidado tem dirigido importantes grupos no Brasil e exterior, tais como a Sinfônica do Teatro Municipal do Rio de Janeiro, Amazonas Filarmônica, Petrobras Sinfônica, Sinfônica de Porto Alegre, Sinfônica do Paraná, Sinfônica de Roma, Sinfônica de Bari, Sinfonia Toronto, World Youth Orchestra, Sinfônica de Rosário (Argentina), Sinfônica do Espírito Santo, Sinfônica da USP Teatro Nacional de Brasília, Experimental de Repertório, Sinfônica da Bahia, Sinfônica Heliópolis, Sinfônica do Teatro São Pedro, Sinfônica de Monterrey, Sinfônica de Guanajuato, entre outras. Lecionou na Universidade Federal de Sergipe, pelo Departamento de Música, e rege a Orquestra e Coro Sinfônico da mesma instituição. Doutor em música pela Unesp, foi aluno destacado dos maestros Isaac Karabtchevsky e John Neschling.


Atualizado: 2 de outubro de 2019, 11:29